subcomitê

Lagoas de Itaipu e Piratininga

Subcomitê Lagoas de Itaipu e Piratininga

O Sistema Lagunar de Itaipu-Piratininga é um ambiente costeiro no município de Niterói e é também a área menos populosa de todo CBH Baía de Guanabara. Possui grande potencial para atividades de lazer, pesca e práticas esportivas. Além disso, por abrigar várias áreas preservadas, o Subcomitê CLIP é o espaço ideal para o desenvolvimento de práticas de educação ambiental e conscientização voltadas para a sociedade.

O território do Subcomitê CLIP se inicia na Ponta do Elefante, no limite do município de Maricá, até a vertente oceânica do Forte Imbuí. É constituído de duas lagunas de água salobra, interligadas pelo canal de Camboatá (2,15 km de extensão, largura de 9,50 m e profundidade média de 0,40 m, construído nos anos 1940), cujos espelhos d’água somam 3,85 km². Ele compreende as bacias hidrográficas da Região Oceânica de Niterói, com aproximadamente 35,4 km² de área. Esse sistema é formado por rios, valas e canais naturais de drenagem, contribuintes às lagunas de Itaipu e Piratininga, além de barragens e reservatórios naturais e artificiais, áreas úmidas e águas subterrâneas.

Laguna Piratininga, em Niterói/Divulgação

Os principais cursos d’água são córrego da Viração, valão do Cafubá, rio Arrozal, rio Jacaré, canal de Santo Antônio, contribuindo para a Lagoa de Piratininga (14,6 km² de área de drenagem); e os rios João Mendes, da Vala, córrego dos Colibris (do Parque Estadual da Serra da Tiririca) e valão de Itacoatiara, desaguando na laguna de Itaipu (20,8 km² de área de drenagem). Suas nascentes estão situadas nos morros que circundam as lagunas, sendo em geral protegidas por Mata Atlântica em bom estado de conservação.

O anfiteatro montanhoso que forma a sub-região hidrográfica e tem em suas partes baixas as lagunas abre-se para o oceano, sendo limitado pelas cristas dos morros da Viração e pelas serras Grande (morro do Cantagalo e Jacaré) e da Tiririca, incluindo em sua porção sudoeste a bacia oceânica do Imbuí. A partir da década de 70, foi aberto um canal permanente para o mar na lagoa de Itaipu, o que tornou a renovação das suas águas prioritariamente controlada pelas marés, enquanto Piratininga depende da entrada de água doce.

Dados

Área: 5.551,79 hectares (1,15% da área total do CBH Baía de Guanabara)

População: 71.718 habitantes, 0,7% da população total

(Fonte: IBGE, Censo 2010)

Coordenação Colegiada – Mandato 2022/2024

Kátia dos Santos Vallado Braga – Conselho Comunitário da Região Oceânica – CCRON (Sociedade Civil)

Gustavo Mello de Souza Sardenberg – Piratininga Surfe Clube – PSC (Usuários)

Ricardo Voivodic – Parque Estadual da Serra da Tiririca (Poder Público)

Diretoria – Mandato 2022/2024

Gustavo Mello de Souza Sardenberg – Piratininga Surfe Clube – PSC (Usuários)

Integrantes

Poder Público

Marcos André Basbaum – Conselho Regional de Biologia – CRBio

Ricardo Voivodic – Parque Estadual da Serra da Tiririca

Vinícius Moço de Lima – Companhia de Limpeza urbana de Niterói

Allan Phelipe de Souza Cruz – Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade de Niterói – SMARHS

Luiz Martins Heckmaier – Secretaria Municipal de Obras de Niterói

Usuários

Halphy Cunha Rodrigues – Águas de Niterói

Carlos Eduardo Jamel – Associação de Windsurf de Niterói

Gustavo Mello de Souza Sardenberg – Piratininga Surfe Clube – PSC

Sociedade Civil

Kátia dos Santos Vallado Braga – Conselho Comunitário da Região Oceânica – CCRON

Felipe Silva Lima Queiroz – Instituto Floresta Darcy Ribeiro – AMADARCY

Martha Christina Lopes Pinho dos Anjos – Instituto Interamericano de Fomento à Educação, Cultura e Ciência – IFEC